hida_gaivota_azul

OLHO SECO

O clima seco somado à permanência em ambientes com ar condicionado, muito tempo em frente ao computador, uso de lentes de contato, poluição, excesso de exposição ao sol, vento, uso de maquiagens de baixa qualidade são alguns elementos que atuam na evaporação das lágrimas e provocam secura nos olhos.

Para entender como o olho seco pode prejudicar a visão e o que pode combater este problema o oftalmologista Richard Yudi Hida, membro da Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa, chefe do Setor de Superfície Ocular da USP e do Setor de Catarata da Santa Casa de São Paulo, mandou uma série de esclarecimentos e dicas para nós.

O que é a síndrome do olho seco?

A Síndrome do Olho Seco (ou Síndrome da Disfunção Lacrimal) é uma doença crônica, caracterizada pela diminuição da produção da lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes. A qualidade da lágrima pode ficar alterada quando se altera muda uma das três camadas que a compõem: a de água, a de mucina e a de gordura. É de extrema importância o equilíbrio desses componentes para a saúde da superfície ocular.

Quais são os sintomas?

São parecidos com sintomas de cansaço ocular: ardência, ressecamento, oscilação ou baixa visão, sensação de areia nos olhos, irritação, coceira, dificuldade em permanecer em frente ao computador ou ar condicionado e olho vermelho ao final do dia.

Quem são os maiores atingidos pela síndrome?

Indivíduos que usam computador, tablet e/ou celular, mulheres, pessoas acima dos quarenta anos e quem usa lentes de contato estão mais propensos ao problema. Fatores ambientais como poluição, alterações do meio ambiente, umidade, temperatura ou ar condicionado, são os principais causadores do olho seco devido ao aumento da evaporação da lagrima por alterações na sua qualidade. O uso de qualquer dispositivo eletrônico ou não eletrônico que faça com que o individuo permaneça constantemente fixando os olhos por muito tempo, pode causar também a síndrome do olho seco devido à deficiência no piscar, principal ato na estabilização da superfície do olho. Outros fatores importantes são a maquiagem e doenças sistêmicas.

Como prevenir? Quais os tratamentos?

Recomendações específicas para cada tipo de olho seco devem ser diagnosticados antes de iniciar o tratamento. Portanto, deve-se ir a um oftalmologista para exames de rotina. De maneira geral, algumas orientações no dia-a-dia devem ser consideradas, tais como:

• Descansar os olhos: usar computador ou ler por muito tempo força a vista e reduz o número de piscadas. Faça pequenos intervalos direcionando os olhos para um ponto distante. Esse exercício também ajuda a relaxar a musculatura responsável pelo foco de perto;

• Acertar a altura da tela do computador: o ideal é que a tela fique um pouco mais baixa do que a linha do olhar. Os olhos voltados para baixo ficam mais relaxados e menos abertos;

• Piscar com mais frequência: quando estamos diante de atividades que exigem o olhar mais atento, piscamos menos do que o necessário, o que prejudica a lubrificação da córnea;

• Beber bastante líquido: assim como os lábios e a pele, os olhos também se desidratam;

• Usar óculos de sol com FPS: eles protegem os olhos de fatores externos que podem irritar a vista, como os raios UVB e o vento;

• Higienizar bem a região dos olhos: retire a oleosidade da pele e resquícios de maquiagem utilizando sabonetes neutros. Esse cuidado evita a danificação da lágrima e o entupimento das glândulas;

• Complementar com ômega 3: ele ajuda na composição da camada mais oleosa da lágrima, importante para evitar que ela evapore facilmente;

• Descansar bem: boa qualidade e quantidade de sono são de extrema importância para descansar os olhos.

Qual a função das lágrimas artificiais?

As “lágrimas artificiais” ou “colírios umidificadores” são termos utilizados para se referir a qualquer colírio para repor a lágrima natural. As lágrimas artificiais são colírios que possuem componentes artificiais mais próximos da lágrima e deve ser receitado pelo oftalmologista caso seja diagnosticada a Síndrome do Olho Seco relacionado com a deficiência na produção da lágrima. A utilização sem orientação médica pode causar outras doenças oculares na pálpebra (blefarites), conjuntiva (conjuntivites) e na córnea (ceratites), como também pode causar dependência das lágrimas artificiais.

ARTIGO DR. RICHARD YUDI HIDA:
Schirmer test performed with open and closed eyes: variations in normal individuals (Comparação entre os testes de Schirmer em olhos abertos e fechados em indivíduos normais)